segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Construção de Veleiros - Maquete



                                                              FAÇA VOCÊ MESMO

Por Diógenes Rabello, 09.11.2015

Interagir com a água vem de longos tempos, acredito que na barriga de minha mãe em vez de liquido amniótico tinha água do mar, sempre me fascinou a ideia de um dia ter um barco, sem  tamanho definido, sem modelo, simplesmente um ter barco.



                                                                                        Guarapari 1958
                                                                                

Foi ai que fiz a primeira miniatura, a ideia era  construir um barquinho, destinado a andar somente no canal de Guarapari.                                                         


A coisa  evoluiu bastante, por sugestão de meu filho e sócio Rafael resolvemos partir para um barco maior e a cada veleiro que pensávamos em comprar eu construía uma miniatura, a  principio bem rudimentar sem conhecimento algum,  foi quando vi as maquetes feita por profissionais, meus pensamentos mudaram, achei o exemplo que eu precisava para dar continuidade do  meu hobby.

A grande dificuldade é conseguir os projetos dos veleiros para fazer em escala 1:30, tenho que pesquisar no catalogo de veleiros as medidas básicas, comprimento, boca, altura do mastro e o resto eu desenvolvo pelo um projeto Russo disponibilizado gratuitamente na internet,   os demais detalhes, vai no improviso e pelas fotos.

                                                     Projeto que me auxiliou.

Preparo das anteparas 


                                                                 Corte das anteparas


                                            Montagem das anteparas e formação do costado
 


                                               Vista de popa da formação da estrutura.


Formação do casco 


Quilha 

                                                                                              
                                                                                                 Peças


Após ler bastante sobre a odisseia do Capitão Fausto, em um veleiro CaboHorn, o Guruça, construído em Guarapari, aquele que enfrentou o furacão Louis, passou a ser nosso sonho de consumo, fiz a maquete, mas a grana era pouca e acabou que  o veleiro não nos escolhendo. 

                                                                           Desenho

Formando o convés

Colocando os equipamentos





                                                                                      Cabo Horn 35














Continuamos as nossas buscas, veio a ideia de um Fast 395, nem cheguei a fazer a maquete era muito grande e muito caro, optamos pelo Fast 345, fiz a maquete  no capricho, simulamos os patrocínios e o Rafael deu inicio ao "Projeto Vento Leve", em fim era o barco escolhido por nós, mas ele também não nos escolheu, todos que visitávamos tinha sempre um “porque não comprar”.



Desenhado pelo prospecto do projetista


Formando o interior


Casco e costado

Colocação do Bimini

                                                                
                                                              Construção do mastro



                                                                             
                                                                             Fast 345














Continuamos as nossas buscas, veio a ideia de um Multichine 28, lindo, maravilhoso, ideal para a necessidade da família, projeto do Mestre Cabinho que mais me encantou, nos deparamos com um grande problema, quem construiu colocou a sua “alma” e sem alma ninguém sobrevive, não achamos para comprar, voltamos a estaca zero.

























Nossas buscas se intensificaram, viagens perdidas, barcos mau construídos, anteparas com cupim, motor vazando...etc, mas não desistimos continuamos a luta, ai apareceu a opção do Samoa 29, depois de ler sobre o sindicato de Ajuricaba, nos pareceu uma boa opção, tamanho ideal, bom projeto do Mestre Cabinho, foi quando o Capitão Fausto anunciou o "Velho Apito", fomos visita-lo, a primeira impressão foi que o barco “nos escolheu”, muito bem construído, bem acabado, uma obra de arte, perfeito e o melhor com aval da nossa “Almiranta”, ai começou outra batalha, convencer o Fausto a vender, embora ele tenha colocado a venda, mas o seu " EU", não estava de acordo, recusou varias propostas, me pareceu que só venderia se tivesse plena confiança que o propenso comprador cuidaria do veleiro tão bem quanto ele, foi quando fiz a proposta, de fazer uma maquete do “Velho Apito” para que ele pudesse guardar e matar a saudade, finalmente adquirimos o “nosso veleiro”.










Velho Apito







                                 Fizemos outras maquetes , com o mesmo propósito " hobby" .
                            O  Seachegue  foi um presente ao meu amigo e professor Ricardinho.















Modelo Clássico 















Maquete do Velho 

































Um comentário:

  1. Tinha visto no YouTube esse vosso trabalho ! Genial ! Que capricho !!! Muita meticulosidade e paciência ! Lindo.
    Parabéns !
    Alcinei

    ResponderExcluir