quinta-feira, 15 de outubro de 2015

A escolha da âncora


Por Diógenes Rabello

FAÇA VOCÊ MESMO
A escolha da âncora.

Após a experiência já relatada em um post anterior aqui no Blog do Vento Leve, onde passamos um momento difícil em um temporal com ventos fortes na Ilha Grande e o Veleiro Velho Apito acabou garrando e se deslocou aproximadamente 150 metros do local original de fundeio e ainda  tivemos que fazer inúmeras manobras no escuro para conseguir fundear novamente em local abrigado, nos vimos obrigados a implementar o nosso sistema de ancoragem.

No dia seguinte deste acontecimento o comandante do Veleiro Caulimaran o capitão Ulisses nos questionou pelo VHF qual o sistema de ancoragem nós utilizávamos e a nossa resposta causou estranheza ao mesmo, já que utilizávamos apenas 40 metros de cabo trançado de 12mm, cinco metros de corrente 10mm e uma âncora Bruce de 7,5kg, ainda nesta comunicação o comandante Ulisses nos deu a ideia de adquirir uma âncora maior e mais metros de corrente para que ficássemos mais seguros.

Passado o susto procuramos nos capacitar sobre este tema na internet e com colegas da vela para aperfeiçoar o nosso sistema de fundeio e vimos que realmente o nosso sistema de fundeio não era adequado para as navegações que estávamos nos propondo a fazer.

Em países Europeus as âncoras do tipo Bruce à muito tempo não são utilizadas e nem sequer são fabricadas. As mais indicadas nos dias de hoje são as da "nova geração" do tipo arado, que entre elas são similares as:

  • Rocna , (Neozelandesa), talvez a melhor de todas, se saiu muito bem nos testes comparativos.
  • Manson Supreme, (Neozelandesa), uma das melhores.
  • Mantus, (Estados Unidos), promessa de ser a melhor.
  • Spade, (Francesa), é uma excelente ancora, pega bem em todo tipo de fundeio.

Estas ancoras não são fabricadas e nem comercializadas no Brasil e para importar o investimento é muito alto, inviabilizando a aquisição das mesmas, sendo assim resolvemos fazer uma ancora da nova geração para o Veleiro Velho Apito, após tirarmos molde de uma original, contratamos os serviços de uma metalúrgica no Espírito Santo que presta serviços para as mineradoras e estaleiros da região para confeccionar uma âncora similar a Rocna de 10kg, abaixo seguem as fotos e o passo a passo da da execução da nossa âncora.

Para construir uma âncora similar a Rocna de 10kg utilizamos aço carbono de 10,3mm para a confecção da haste, 9,53mm para o arado, 4,76 para a aba e a alça é feita com barra redonda de 3\8 que foram cortadas à plasma e soldadas com solda MIG, após a construção da âncora a mesma foi levada a uma metalúrgica no interior do Rio de Janeiro onde foi galvanizada a fogo.

OBS¹: O tubo do modelo original foi substituído pela barra maciça redonda de 3\8 pois a parte interna do tubo não recebe a galvanização, podendo então oxidar de dentro para fora.

OBS²: A junção entre a haste e o arado são encaixados milimetricamente e soldados tanto no topo quanto no fundo da âncora deixando-a mais resistente e robusta.


 Fase de desenvolvimento

Corte da haste

Corte do cepo e do braço

Dando acabamento da haste


Separação das peças para a montagem

Montagem da haste e do arado

Nivelamento da haste antes da soldagem

Nivelamento do arado antes da soldagem

Solda tipo Mig

 Haste soldada no arado


Finalmente a âncora no seu devido lugar... na proa do Veleiro Velho Apito

11 comentários:

  1. Boas comandante, não sei se é impressão ou não, mas me parecê que a curvatura não ficou a mesma. Isto pode ocorrer ? sera que não perde um pouco na hora do fundeio ?

    ResponderExcluir
  2. Me desculpe, mas a ancora ficou top. muito semelhante a original. abraços e bons ventos

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Sérgio.

    Pelo que verificamos quando tiramos as medidas da original a curvatura estava igual! Obrigado pelo comentário! Araços, Rafael Rabello

    ResponderExcluir
  4. Muito bom, o Paulo Tosin está fabricando uma similar em série, comprei e está para chegar,

    ResponderExcluir
  5. Show! Sou amigo do Paulo Tosin no Zap no grupos dos velejadores! Ele faz âncora em série e nós fazemos artesanalmente. Abraços, Rafael Rabello

    ResponderExcluir
  6. É isso aí Comandante, a vida é feita de lições e aos mais atentemos têm o privilégio de aprender. E assim é o mar, nos ensinando a cada dia uma nova lição. E não esqueça, sempre antes de mudar de humor a mãe natureza manda avisos, basta observar. Bons ventos sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Ulisses! Suas dicas foram 100% válidas e utilizadas para podermos melhorar nosso sistema de fundeio! Estamos a cada dia entendendo melhor como funciona a natureza e suas mudanças... A melhor forma de entender a natureza é interagir com ela... Abraços!!! BV

      Excluir
  7. Muito bom favor enviar end e fone do Paulo Tozin.
    Grato bons ventos ..smithstudio.mkt@gmail.com.

    ResponderExcluir
  8. Boa noite comandante Diogenes, fiquei impressionado com a comfecção da ancora Rocna em uma metalurgica
    aqui de Vitoria ES, parabens. Mantive contato com o Rafael para saber sobre a possibilidade de adquirir uma destas para o meu veleiro BB36 2004 que mantenho em Angra dos Reis. obg Fernando.

    ResponderExcluir
  9. Nunca entendi o por que não encontramos essas âncoras comercializaras no Brasil. Li também que lá fora não são mais produzidas a Bruce, hegemônica em nosso país.
    Um amigo comentou "é porque a Bruce para nosso terreno de fundeio serve".... Pelo que li, serve, mas há melhores.
    Vou ter que trazer 10kg somente em ancora em alguma viagem para fora ???

    ResponderExcluir